Como educar seu filho para que ele tenha consciência financeira?

A educação financeira é uma das instruções mais importantes para a criação de uma criança, pois pode estar transformando um consumista acelerando em um comprador consciente. A saúde financeira interfere diretamente nos outros aspectos de nossa vida e portanto, quanto antes desenvolvemos a consciência para consumir melhor para o nosso bolso e para o planeta.

A ideia é começar essa educação desde cedo e pensando nisso, nossa plataforma separou algumas dicas importantes para os país começarem a aplicar no dia a dia e ajudar a criança a desenvolver a consciência financeira. Leia abaixo:

Ofereça uma mesada

Muitos pais e educadores são contra o uso da mesada para educar os filhos financeiramente, mas na maioria das vezes é porque os pais não utilizam corretamente a função da mesada.

É preciso ter pulso firme para que o seu filho entenda que precisa gastar dentro de sua renda, portanto, não é recomendado estar sempre oferecendo suporte em caso da criança gastar o dinheiro. Isto falando de coisas supérfluas como brinquedos e jogos.

Ensine a fazer uma lista de desejos

Uma boa dica para todo mundo que quer aprender a lidar com dinheiro é fazer uma lista de desejos do que precisa e do que quer comprar, se possível separando os dois.

É interessante que a criança coloque o preço das coisas na lista e que ela mesma aprenda a eleger prioridades da sua lista, considerando o seu próprio capital.

Fale sobre o uso dos recursos naturais

Não adianta apenas ensinar sobre dinheiro, é necessário explicar para as crianças sobre a utilização excessiva dos recursos naturais limitados.

A consciência financeira e a consciência ecológica precisam caminhar juntas e você pode contribuir dando algumas aulas ou assistindo a vídeos sobre o assunto com seus filhos.

Incentive a reutilização e revitalização das coisas

Nem sempre a educação financeira estará diretamente ligada ao dinheiro. Vivemos em uma cultura capitalista que sempre nos faz optar pelo novo e é necessário mudar esse pensamento desde a ase educacional.

Por isso, incentive a reutilização e revitalização das coisas. Você pode ainda optar por redecorar, customizar e reaproveitar diversos produtos.

Leve-o para fazer compras

Este pode ser o pesadelo de todos os pais, mas pode acreditar que será uma tarefa diferente quando você der inicio a educação financeira.

Peça para a criança organizar uma lista com poucos itens do que ela quer ou precisa e ajude a decidir o que ela comprará.

post

Cinco passos para quem quer começar a investir em renda variada

Investir o seu capital, seja lá no que for, sempre será uma atitude acompanhada de muitas inseguranças. Muito tem se falado em renda variável e as suas possibilidades de investimento, mas como começar?

Bem, como este tipo de investimento possui rendas imprevisíveis, é interessante estar atento ao mercado e verificar os cinco passos abaixo:

1. Esteja por dentro da economia do seu país

A economia tem estado muito instável entre 2019 e 2020 e começar a aplicar o seu dinheiro em renda variável numa economia instável é um passo um tanto perigoso para o seu capital.

Por isso, o ideal é estar atento as previsões econômicas, ao valor do dólar e a valorização das ações. Se o mercado não estiver propício para investimento, é hora de pensar a longo prazo e comprar ações em baixa.

2. Estude bastante

A maioria dos brasileiros têm medo de investir na renda variável porque o retorno financeiro é imprevisível. A melhor forma de evitar movimentos errôneos é se informar, assim você não acaba caindo em uma armadilha do mercado financeiro e pode se livrar das oportunidades pouco vantajosas.

Pensando assim, o ideal a se fazer é estudar muito e estar por dentro das melhores possibilidades, sabendo de todas as vantagens e desvantagens para assim, fazer a jogada certa e no momento certo.

3. Faça investimentos indiretos

Essa dica é interessante principalmente para quem está estudando o mercado e quer perder o medo de investir. Você pode optar por investimentos indiretos através de ETFs e Fundos de Ações.

Essas são algumas das possibilidades mais seguras para os investidores e permite que você possa aumentar a renda aplicada aos poucos, ao mesmo tempo que desenvolve o seu pensamento econômico para o mercado.

4. Faça um plano de investimento

O plano de investimento será uma forma de você não se perder com tantos números e manter a rentabilidade como esperado.

Essa ferramenta pode ser útil tanto a longo, como a médio prazo. Não se esqueça de alterar os números de acordo com o retorno financeiro recebido, assim você pode aumentar o valor aplicado da forma que estiver fluindo melhor, tendo mais possibilidade de retorno futuramente.

5. Procure uma boa instituição financeira

Não adianta ter um bom plano de investimento e estar associado a uma empresa que não condiz com suas projeções ou que não acompanha o mercado.

Por isso, escolha uma instituição financeira que ofereça suporte para os investidos e que possa propor um serviço de qualidade.