Direitos creditórios

0

Mesmo que você não faça a mínima ideia do que são direitos creditórios, você provavelmente já lidou com eles a sua vida inteira. Por isso é tão importante conhecer algumas realidades cotidianas pelo nome técnico, assim qualquer discussão, qualquer conversa ou qualquer tipo de diálogo não passará despercebido por conta da dificuldade linguística.

Hoje iremos conhecer de forma completa o que são direitos creditórios, como funciona esse conceito e porque ele é tão importante para economia. Confira em nosso artigo!

O que é um direito creditório?

Conteúdo

Muito se fala sobre a necessidade de não acumular dívidas e sobre como essas contas podem ser extremamente prejudiciais para a economia. E de fato, ninguém quer ter obrigações e contas para pagar, são realmente desvantagens para a nossa vida e podem impactar negativamente todas as nossas finanças.

Mas a verdade é que os direitos creditórios são parte estrutural da nossa organização financeira. E sim, isso mesmo, um direito creditório nada mais é do que uma dívida! E você duvida que direitos creditórios são parte estrutural de nossa organização financeira? Pense, por exemplo, em um aluguel.

O que é um direito creditório
Fonte/Reprodução: original

O que é o aluguel além de uma dívida? Especialmente quando é feito por contrato. Ou de uma compra a prazo, uma compra parcelada, um financiamento, etc. Tudo isso são pequenas dívidas, pequenos direitos creditórios que não só são estruturalmente necessários para o mundo financeiro como hoje é organizado, mas também em alguns casos são até mesmo vantajosos.

Alguns tipos de financiamento são extremamente vantajosos, o mesmo podemos falar sobre algumas modalidades de empréstimos e créditos, como é o caso de um empréstimo realizado por uma empresa, por exemplo.

Tudo isso são pequenos tipos de direitos creditórios que são extremamente importantes para nossa sociedade e nossa organização financeira.

Quais são os principais tipos de direitos creditórios?

Considerando que direitos creditórios são dívidas a pagar, nós temos alguns clássicos que funcionam como meios de pagamentos facilitados e que já são bastante conhecidos por nós. Eles são:

  • Cheques;
  • Parcelas do cartão de crédito;
  • Financiamentos;
  • Prestação de serviços;
  • Possíveis ganhos em disputas judiciais;
  • Duplicatas a prazo;
  • Investimentos;
  • Créditos em diversas operações.

Esses são alguns dos clássicos direitos creditórios, alguns certamente fazem parte da sua rotina, e como já comentamos, mesmo sendo no fim das contas, dívidas, muitos desses direitos creditórios não são apenas normais, tradicionais mas até mesmo benefícios.

Como os direitos creditórios são criados?

Um direito creditório é criado por meio do processo de endividamento da sociedade com empresas. Uma empresa fornece determinado serviço, bem ou crédito que é pago de maneira facilitada pelo indivíduo pessoa física, ou mesmo outras empresas.

No momento em que esse negócio é criado então há aí um direito creditório a ser cobrado por parte da empresa que realizou a proposta e ofereceu o produto ou serviço. É bem simples entender o que são direitos creditórios levando para a perspectiva dos exemplos práticos.

Qual é a natureza jurídica dos direitos creditórios?

Direitos creditórios por lei devem ser pagos para a empresa detentora dos direitos. Caso uma pessoa ou outra empresa não pague a empresa detentora do direito poderá acioná-la judicialmente por inadimplência.

Quais são as principais formas de garantia de direitos creditórios?

Existem muitas formas de garantir que os direitos creditórios serão pagos, ou ao menos que caso haja inadimplência o seu valor seja ao menos parcialmente resgatado. Há diversos seguros que garantem o pagamento parcial de uma duplicata, os cartões de crédito e contratos também são meios de garantir alguns direitos creditórios.

O direito creditório é um elemento financeiro extremamente importante e que hoje serve como base para nossa vida financeira como um todo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.